Dr. Francisco Formariz


Ao longo de toda uma vida, dedicou e dedica grande parte do tempo a Caçarelhos e suas gentes, fazendo a história da aldeia que o viu nascer, recolhendo datas e pormenores, de eventos, de monumentos, de gentes, de origens, de nossos antepassados, enfim, cuida e trata de um manancial de informação sobre Caçarelhos, que ninguém calcula! Estudioso que, sempre que lhe foi possível, e nas idas à aldeia ia enriquecendo os seus arquivos, para que um dia, haja relatos da existência de uma povoação chamada Caçarelhos. Pouco, ou quase nada sei do espólio deste ilustre conterrâneo, mas a certeza tenho, de que esta personagem, nasceu, viveu, trabalhou, puxou, ajudou e ajuda e certamente, contribuirá com o sua vasta e riquissima recolha manuscrita sobre Caçarelhos, pois que ama e amará, muito embora longe da terra que o viu nascer, estou certo que a acompanha todos os dias com grande dedicação e paixão.
Sendo, também este blog dedicado a Caçarelhos, permitam-me esta publicação, muito simples e humilde, homenageando esta figura que se dá pelo nome Francisco Formariz ao qual expresso a minha muito humilde admiração e simpatia, com votos de Boas-Festas e um Ano de 2011 repletos de boa saúde. Um abraço Dr. Formariz.

FESTIVAL GEADA 2010







Pelo terceiro ano consecutivo, a "Banda Roncos do Diabo" estará presente no já muito conceituado festival "GEADA". Esta banda, ano apôs ano vai cativando mais e mais fãs, sendo uma realidade a alegria contagiante que transmitem em cada conserto a toda a juventude que nesta ocasião se deslocam centenas de quilómetros, para ver e ouvir aqueles cinco "mosqueteiros" que mesmo com aquelas coreografias acrobatas, não se perdem na afinaçao tão sincronizada, que só eles sabem e transmitem como que se de violinos se tratasse.
Sendo que este blogue previlegia e se dedica exclusivamente a Caçarelhos e às suas gentes, não poderia deixar de divulgar neste espaço o festival "GEADA" a realizar em Miranda do Douro pela Juventude Mirandesa nos dias 28, 29 e 30 de Dezembro, sendo que a Banda "Roncos do Diabo" fechará em conserto o festival. Porque a Banda tem uma costela de Caçarelhos, essa mesma costela, convida toda a juventude de Caçarelhos para assistir ao conserto de encerramento. Em nome de toda a Banda e meu próprio nome para todos os votos de um Feliz e Santo Natal José Ventura.

AN MIRANDÉS
Pul terceiro anho cosecutibo, la "Banda Roncos de l Diabo" stará persente ne l yá mui cunceituado festibal "GEADA". Esta banda, anho passado anho bai catibando mais i mais fanas, sendo ua rialidade l'alegrie cuntagiante que trasmiten an cada cunserto a to la mocidade que nesta ocasion se çlocan cientos de quilómetros, para ber i oubir aqueilhes cinco "mosqueteiros" que mesmo cun aqueilhas coreografies acrobatas, nun se perden na afinaçon tan sincronizada, que solo eilhes saben i trasmiten cumo que se de biolinos se tratasse.

Sendo qu'este blogue prebilegie i se dedica sclusibamente la Caçareilhos i a las sues gientes, nun poderie deixar de dibulgar neste spácio l festibal "GEADA" a rializar an Miranda de l Douro pula Mocidade Mirandesa ne ls dies 28, 29 i 30 de Dezembre, sendo que la Banda "Roncos de l Diabo" fechará an cunserto l festibal. Porque la Banda ten ua costielha de Caçareilhos, essa mesma costielha, cumbida to la mocidade de Caçareilhos para assistir al cunserto d'ancerramiento. An nome de to la Banda i miu própio nome para todos ls botos dun Feliç i Santo Natal. José Bintura.

Boas Festas e Feliz Ano 2011



O Blog Sons de Caçatelhos, Deseja a todos os Caçarelhensess, um Santo e Feliz Natal e que para todos seja possível o convívio da Ceia de Natal com suas famílias

VOTOS DE BOAS FESTAS

A Comissão da Comunidade de Caçarelhos na Área de Lisboa, atravês deste BLOG deseja a todos os Caçarelhenses, e a todos quantos estiverem ligados à Aldeia umas Boas-Festas de Natal e um Ano de 2011 cheio de Saúde, Paz, Amor e Alegria.

L BURRO I L GUEITEIRO

O primeiro festival do “burro e do gaiteiro” há alguns anos atrás teve início em Caçarelhos. A aldeia acordou ao som de gaitas e tambores e muitos burros que em caravana percorreram o caminho pedonal de Caçarelhos até Vilar Seco . Tive o grato prazer de acompanhar este evento a pé, porque gosto e tenho paixão pelo mundo das gaitas, gaiteiros e vida rural, aderi a esta festa bem genuína e nossa, não perdendo sempre que posso, fazer umas fotografias e filmes que é certo gosto de partilhar com todos quanto, tal como eu gostam disto. Assim, e porque estou a dar volta aos meus arquivos e atendendo a alguns simpáticos pedidos publiquei estes dois vídeos no youtube e então lembrei-me de os publicar neste blog dedicado a Caçarelhos e às suas gentes.

AN MIRANDÉS
L purmeiro festibal de "l burro i de l gaiteiro” hai alguns anhos atrás tubo ampeço an Caçarelhos. L'aldé acuordou al sonido de gaitas i tambores i muitos burros qu'an carabana percorrírun l camino pedonal de Caçarelhos até Bilar Seco . Tube l grato prazer d'acumpanhar este eibento la pie, porque gusto i tengo peixon pul mundo de las gaitas, gaiteiros i bida rural, aderi l'esta fiesta bien genuína i nuossa, nun perdendo siempre que puodo, fazer uas retratos i filmes que ye cierto gusto de partilhar cun todos quanto, tal cumo you gustan çto. Assi, i porque stou a dar buolta als mius arquibos i atendendo l'alguns simpáticos pedidos publiquei estes dous bídeos ne l youtube i anton lembrei-me de ls publicar neste blog dedicado la Caçarelhos i a las sues gientes.


Caçarelhos Integra Projecto "ALDEIAS DE PORTUGAL"

Mundo - Reformas na Suíça com tecto máximo de 1700 euros - RTP Noticias, Vídeo

1.º FESTIVAL DE JOVENS GAITEIROS "Sendim"

Quando aconteceu este festival, o João tinha desasseis anos, Foi o vencedor deste festival em Sendim. Começou a seguir as pegadas do avô Joaquim, com oito anos, no meio de gaitas e gaiteiros foi crescendo,e hoje com 21 anos não precisa de mais apresentações, Caçarelhos bem o conhece. Ele gosta de Caçarelhos!...


Apanha das Batatas

Um passeio por Caçarelhos. Retalhos da vida de um agricultor com a apanha da batata atraves de uma bonita junta de vacas raça Mirandesa e as apanhadeiras de batata ainda pela moda comunitária . Que bonito!... Paisagens bonitas duma aldeia do Planalto Mirandés!... Caçarelhos pois claro!


OS "PUTOS" Domingues

Crianças nascidas no meio rural, sinónimo de saudáveis, amigas, activas e cheias de felicidade no meio que as rodeia,pois os homenageados hoje são estes dois putos na altura, hoje o ivo é quase home, o Tiago o será também dentro em pouco. Para estes dois "Putos" vai, o meu abraço extensivo aos pais.

CAÇARELHOS LEMBRA SEUS ARTISTAS DESAPARECIDOS




Quem de Caçarelhos, das gerações dos anos 40, 50, 60 e 70 não se lembra de Domingos Ricardino, dos irmãos José e Abel Fofo que com o seu saber e dedicação faziam das fragas de granito autênticas obras primas que perpectuarão para sempre, enquanto Caçarelhos conservar o seu patrimonio habitacional antigo. pois estes três mestres, autenticos escultores de bem trabalhar a pedra, com todas as limitações e dificuldades artesanais, cortavam a guilho, picavam com os picos (não havia a maquinaria de hoje), aos quais só outro grande artista dava forma e têmpera, este também ja desaparecido, que na sua frauga da piçarra, colocava todos os seu pergaminhos naquela arte de bem trabalhar o ferro, este fazia também parte da geração d'ouro de Caçarelhos, saudoso Augusto Fulgêncio.
Na impossibilidade de os homenagear, colocando fotografias daquela época, coloco outras algo bem mais recentes, homenageando-os de igual forma com outros novos artistas que, e porque não, lhe querem seguir as pegadas. Para os já desaparecidos, e nas pessoas dos filhos e netos endereço a minha saudade estima e amizade. Para os reconhecidos nas fotos o meu incentivo para que continuem, e que possam contribuir para o desemvolvimento de um Caçarelhos mais atractivo para a fixação da juventude.

CAÇARELHOS ESTÁ DE LUTO


Caçarelhos a partir de hoje fica mais pobre. Faleceu a tia Maria Celestina Meirinhos, pessoa com quem todo o Caçarelhos se abituou a conviver ao longo dos seus cerca de 87 anos. Que Deus a tenha guardada lá no céu na paz do Senhor. Para toda a família enlutada as minhas sinceras condulêcias.

CAÇARELHOS ESTÁ EM FESTA! HÁ GENTE NOVA

Hoje dia 22 de Outubro do ano de 2010 às 13.25 horas nasceu no Hospital Garcia de Horta em Almada, uma menina de seu nome Maria, filha de Ana Isabel Falcão Ramos e Gonçalo Nuno Ventura Bartolomeu, motivo mais que suficiente para que toda a gente de Caçarelhos se sinta feliz por ter havido um nascimento. De momento, este blog endereça aos pais, avós e bisavós os parabéns, e que a bebé seja saudável.

Para comemorar esta data festiva e em homenagem à nova mama Ana Isabel irei publicar em primeira mão alguns vídeos ligados a Caçarelhos, e à nova mamã, que estou certo ela vai gostar de ver. Para ela muitos beijinhos de parabéns.

AN MIRANDÉS

Caçarelhos stá an fiesta!


Hoije die 22 de Outubre de l'anho de 2010 a las 15.10 horas naciu ne l Spital Garcia de Horta an Almada, ua nina de sou nome Marie, filha de Ana Isabel i Gonçalo Bartolomiu, motibo mais que suficiente para que to la giente de Caçarelhos se sinta feliç por tener habido un nacimiento. De momiento, este blog andereça als pais, abós i bisabós ls parabienes, i que la bebé seia saudable.

GAITAFOLIA EM CAÇARELHOS

GAITAFOLIA DE LISBOA PRESTOU HOMENAGEM AO GAITEIRO JOAQUIM VENTURA

De passagem por Caçarelhos, onde pernoitaram, os "Gaitafolia" bem cedo, na manhã fria de 17 de Dezembro de 2000, perfilou no adro da igreja, esperando a saida da gente da aldeia da missa, e que só passados quarenta anos ouvem de novo o toque de gaitas-de-foles outrora tocada por Joaquim Ventura a quem a "Gaitafolia" de Lisboa quis homenagear. O meu muito obrigado "rapaziada gaitafolia" pelo vosso carinho e simpatia.

Histórias com gente dentro

Amanhã,sexta-feira dia 15 de Outubro, a sueguir ao Telejornal da noite na SIC convido todos quantos visitam este blog a verem o programa "Histórias com gente dentro". Fará parte desse programa a Família do Tio João da Rádio RBA Bragança. Porque o programa de Rádio "Tio João" é um dos mais antigos da rádio em Portugal, e porque diz respeito ao Nordeste Transmontano e Caçarelhos também tem muita gente que faz parte da família, penso que ninguém de Caçarelhos deve perder o programa televisivo. Vamos todos torcer pela "Família Tio João"!

CAÇARELHOS 2002

Caçarelhos, já foi Vila!..., Sim, por vinte e quatro horas, Caçarelhos foi vila!... Cidade!... cheia de movimento, interactiva, acordou numa madrugada de invernia, embora em pleno Verão, sem electricidade, com os visitantes e convidados a comer a ceia à luz de velas. Era o dia vinte e quatro de Agosto de 2002, cinco e trinta da madrugada, chuva, trovoada, relâmpagos, mordomia de Santa Luzia interroga-se: O que fazer perante esta intempérie? Um grito de coragem sai da boca daqueles que ao pormenor tudo programaram para que nada falhasse e corresse pelo melhor. Chovia com abundância, mas aquele grito caiu bem no fundo de todos os santinhos que mais tarde iriam desfilar na procissão e como que nos tivessem falado ao ouvido, um novo grito saiu, vamos embora!
Começam a suar os roncos das gaitas de foles, a sineta milagrosa da capela santo Cristo junta-se aos gaiteiros, a tempestade começa a dissipar-se, eram seis hora da manhã, começa a alvorada bem genuína ao som das gaitas da banda Gaitafolia. Quem se não lembra daquele dia? Nunca Caçarelhos havia albergado tanta gente, tanto automóvel, alguns autocarros, enfim, todos os caminhos conduziam gente para Caçarelhos. Queriam presenciar aquele espectáculo que havia sido anunciado e divulgado por todo o Nordeste Transmontano.
Ninguém ficou indiferente, e até mesmo as Câmaras Municipais colaboraram, patrocinando de igual modo os grupos envolvidos naquele evento, tendo disponibilizado transporte, houve também alguns patrocínios, tais como Câmara Municipal de Vimioso, Corane, IPJ de Bragança, Governo Civil de Bragança, Casa de Turismo Rural de Caçarelhos e algumas pessoas de Caçarelhos não residentes, pois que sem estes patrocínios não teria sido viável o acolhimento, e alimentação de cerca de 100 pessoas envolvidas no festival.
Passados 8 anos, e porque ainda não tinha tido oportunidade de partilhar com todas as pessoas que presenciaram aquele dia 24 de Agosto, vou através deste “BLOG” homenagear todos os Grupos participantes, Presidente da C.M.Vimioso José Rodrigues e Jorge Martins, António Afonso ex Presidente Região de Turismo Nordeste, Prof. Carção, Padre António Leça, Casa de Caçarelhos Sr. Pimentel e ainda os mordomos António Falcão, Ana Rosa e filhos Manuela e Tiago; Emílio e Bernardina Veiga e filhos Edgar e Rute, Basílio Fernandes e Maria da Luz e filha Sara, Arnaldo Teixeira e Leonor Ventura e filhas Cláudia, Inés e Raquel, minha esposa Antónia Ventura e meus filhos Cláudia e João. São cerca de 25 vídeos, mas acredito que tal como eu, vão gostar de reviver aquele dia de sonho! No final, se gostarem envie-me o seu comentário. Se não gostar, envie também o comentário na mesma.

AN MIRANDÉS

Caçarelhos, yá fui Bila!..., Si, por binte i quatro horas, Caçarelhos fui bila!... Cidade!... chena de mobimiento, anteratiba, acuordou nua madrugada d'ambernia, ambora an pleno Berano, sin eiletricidade, culs bejitantes i cumbidados la comer la cena a la luç de belas. Era l die binte i quatro de Agosto de 2002, cinco i trinta de la madrugada, chuba, troboada, relámpagos, mordomie de Santa Luzia anterroga-se: L que fazer delantre esta antempérie? Un grito de coraige sal de la boca daqueles qu'al pormenor todo porgramórun para que nada falhasse i corrisse pul melhor. Chobia cun abundáncia, mas aquel grito caiu bien ne l fondo de todos ls santicos que mais tarde eirien çfilar na procisson i cumo que ne ls tubíssen falado al oubido, un nuobo grito saliu, bamos ambora!
Ampeçan a suar ls roncos de las gaitas de foles, la campanina milagrosa de la capielha santo Cristo junta-se als gaiteiros, la tempestade ampeça a dissipar-se, éran seis hora de la manhana, ampeça l'alborada bien genuína al sonido de las gaitas de la banda Gaitafolia. Quien se nun lembra daquele die? Nunca Caçarelhos habie albergado tanta giente, tanto outomoble, alguns carreiras, anfin, todos ls caminos cunduzian giente para Caçarelhos. Querien persenciar aquel spetaclo qu'habie sido anunciado i dibulgado por to l Nordiste Strasmuntano.
Naide quedou andiferente, i até mesmo las Cámaras Municipales colaborórun, patrocinando d'eigual modo ls grupos ambolbidos naquel eibento, tenendo çponibelizado trasporte, houbo tamien alguns patrocínios, tales cumo Cámara Municipal de Bumioso, Corane, IPJ de Bergáncia, Gobierno Cebil de Bergáncia, Casa de Turismo Rural de Caçarelhos i alguas pessonas de Caçarelhos nun residentes, pus que sin estes patrocínios nun tenerie sido biable l'acolhimiento, i alimentaçon de cerca de 100 pessonas ambolbidas ne l festibal.
Passados 8 anhos, i porque inda nun tenie tenido ouportunidade de partilhar cun todas las pessonas que persenciórun aquel die 24 de Agosto, bou atrabeç deste “BLOG” houmenagear todos ls Grupos partecipantes, Persidente de la C.M.Bumioso José Rodrigues i Jorge Martines, António Fonso s Persidente Region de Turismo Nordiste, Prof. Carçon, Padre António Leça, Casa de Caçarelhos Sr. Pimentel i inda ls mardomos António Falcon, Ana Rosa i filhos Manuela i Tiago; Emílio i Bernardina Beiga i filhos Edgar i Rute, Basílio Fernandes i Marie de la Luç i filha Sara, Arnaldo Teixeira i Leonor Bintura i filhas Cláudie, Inés i Raquel, mie mulhier Antónia Bintura i mius filhos Cláudie i João. San cerca de 25 bídeos, mas acradito que tal cumo you, ban gustar de rebibir. Ne l final, se gustáren ambie-me l sou comentairo. Se nun gustar, ambie tamien l comentairo na mesma.



Caçarelhos. Aldeia Rural do Planalto Mirandés

Hà cerca de onze anos atraz alguem visitou Caçarelhos e filmou algo doque foi possível, envolvido em centenas de filmes descobriu este ligado com Caçarelhos,a gravação ainda era em fita, pelo que a qualidade do vídeo não é a melhor, mas nos diz respeito, nao resisto a colocar neste blog partilhando com todos um poucou as saudades pelo menos durante a visão do filme. Para os possiveis intervenientes que aparecem no mesmo vai o meu abraço e surpresa.

Rádio Brigantia - Online

Roncos do Diabo

Porque acho útil Comunicar com todos os conterrâneos residentes nas zonas de Grande Porto (Guimarães, Maia e Penafiel), Informo que esta Banda de gaitas vai actuar em conserto no próximo Sábado dia 18 de Setembro às 14.30 em Guimarães e outro conserto ás 21.30 do mesmo dia em Penafiel. O meu convite está feito, e creio que os Caçarelhenses residentes na Maia e arredores não faltarão apoiar esta banda,também ligada a Caçarelhos. Para todos um abraço.

O Carvalho Centenário

Segundo descrição dos mais velhos de Caçarelhos, este carvalho deverá ter aproximadamente 150 anos ou mais, se fizermos contas facilmente chegaremos a essa conclusão. Segundo uma investigação com pessoas familiares do falecido Emílio Bartolomeu, este terá dito aos filhos, José Luís Bartolomeu (falecido) e Francisco Bartolomeu que sempre se lembrou daquele carvalho como é desde garoto e que já então o pai de Emílio Bartolomeu que era um carvalho muito imponente e bonito. Hoje se fosse vivo teria 110 anos, se tivermos em conta que quando este nasceu, o pai de Emílio teria 25/30 anos, daí que se o carvalho já era carvalho poderia ter na pior das hipóteses outros 25/30 anos. Assim, a bonita e frondosa árvore com certeza terá para cima de 150 ano e estará se é que não entrou já na terceira geração.Quando foi feito este vídeo, teve-se o cuidado pormenorizado de se medir o perímetro que é de nem mais nem menos que 4,30 metros, ou seja um pouco menos de três homens a abraçar A altura deve rondar cera de 30,00 metros e diâmetro da ramagem 30,50 metros. Um apelo que eu faço, estimem e cuidem bem deste monumento pois faz parte do património de Caçarelhos e como tal deve ser protegido.

An Mirandés

L Carbalho Centenário








Segundo çcriçon de ls mais bielhos de Caçarelhos, este carbalho deberá tener aprossimadamente 150 anhos ó mais, se fazirmos cuntas facilmente chegaremos a essa cuncluson. Segundo ua ambestigaçon cun pessonas fameliares de l falecido Emílio Bartolomiu, este terá dezido als filhos, José Luís Bartolomiu (falecido) i Francisco Bartolomiu que siempre se lembrou daquele carbalho cumo ye zde garoto i que yá anton l pai de Emílio Bartolomiu qu'era un carbalho mui amponente i guapo. Hoije se fusse bibo tenerie 110 anhos, se tubirmos an cunta que quando este naciu, l pai de Emílio tenerie 25/30 anhos, dende que se l carbalho yá era carbalho poderie tener na pior de las heipóteses outros 25/30 anhos. Assi, la guapa i frondosa arble cun certeza terá para cima de 150 anho i stará se ye que nun antrou yá na terceira geraçon.Quando fui feito este bídeo, tubo-se l cuidado pormenorizado de se medir l perímetro que ye de nin mais nin menos que 4,30 metros, ó seia un pouco menos de trés homes l'abraçar L'altura debe rondar cera de 30,00 metros i diámetro de la ramaige 30,50 metros. Un apelo que you fago, stimen i cuiden bien deste monumiento pus faç parte de l patrimonho de Caçarelhos i cumo tal debe ser protegido.

Banda de Gaitas ”Roncos do Diabo” Estiveram na Festa do Avante


Esta Banda de Gaitas, na Quinta da Atalaia, com dois memoráveis consertos, um no palco Avante Teatro dia 3, outro no palco Solidariedade dia 4 de Setembro, ambos pequenos para a já grandiosidade projecção da mesma, que de conserto em conserto cativam cada vez mais fãs, que se deslocam dos mais variados pontos do País e além fronteiras, para ouvir bem de perto toda a jovialidade que os seus cinco executantes transmitem com aquelas gaitadas que tão bem sabem afinar, colocando os mais aficionados em completa loucura, como aconteceu no palco Avante Teatro, com invasão do mesmo, deixando assim mais uma vez história na Festa dos Comunistas com elogio público de um dos organizadores que veio ao Palco aclamando a Banda “Roncos do Diabo”como a melhor no momento a nível Nacional e uma das melhores a nível internacional como mostra um dos vídeos exibidos. Este, motivo mais que suficiente para que Caçarelhos se sinta honrado com a presença de um elemento oriundo da aldeia que fez história com gaiteiro. Uma banda que, e dada a sua polivalente inspiração e características poderá actuar nas mais diversificadas situações, tais como em palcos, terreiros, arruadas, eventos religiosos como sendo procissões, etc.

An Mirandés

Banda de Gaitas ”Roncos de l Diabo” Stubírun na Fiesta de l Abante
Esta Banda de Gaitas, na Quinta de la Atalaia, cun dous memorables cunsertos, un ne l palco Abante Triato die 3, outro ne l palco Solidariadade die 4 de Setembre, ambos pequeinhos pa la yá grandiosidade projeçon de la mesma, que de cunserto an cunserto catiban cada beç mais fanas, que se çlocan de ls mais bariados puntos de l Paíç i de para alhá frunteiras, para oubir bien d'acerca to la jobialidade que ls sous cinco eisecutantes trasmiten cun aqueilhas gaitadas que tan bien saben afinar, colocando ls mais aficionados an cumpleta loucura, cumo acunteciu ne l palco Abante Triato, cun ambason de l mesmo, deixando assi mais ua beç stória na Fiesta de ls Quemunistas cun eilogio público dun de ls ourganizadores que bieno al Palco aclamando la Banda “Roncos de l Diabo”cumo a melhor ne l momiento la nible Nacional i ua de las melhores la nible anternacional cumo mostra un de ls bídeos eisibidos. Este, motibo mais que suficiente para que Caçareilhos se sinta honrado cula persença dun eilemiento ouriundo de l'aldé que fizo stória cun gaiteiro. Ua banda que, i dada la sue polibalente anspiraçon i caratelísticas poderá atuar nas mais dibersificadas situaçones, tales cumo an palcos, terreiros, arruadas, eibentos relegiosos cumo sendo procissones, etc.

Caçarelhos na Rota do Mundo através do Gaiteiro na Festa do Avante

Decorreu no passado fim de semana dias 3, 4 e 5 de Setembro na Quinta da Atalaia no Seixal, mais uma Festa do Avante, organizada pelos Comunistas. Uma festa com múltiplos eventos desde livros, música, gastronomia, multiculturalidade, enfim, tudo e de tudo para todos os gostos e paladares, talvez oportunidade única para passar um fim de semana sem preocupações. Reunindo todos os destritos do país e muitos outros países de tendências comunistas.
No espaço Bragança, houve artigos da região, como artesanato, a famosa posta mirandesa, pão, fumeiro, vinhos e mel entre outros. Enquanto se esperava na fila pelo almoço e mesmo almoçando ou jantando, o grupo de gaiteiros de Varge/Bragança e como não podia deixar de ser, Caçarelhos também esteve presente e ambos deixaram aos inúmeros visitantes presentes os seus pergaminhos.
Para a célula do PCP do Distrito de Bragança e toda a rapaziada presente naquele espaço endereço um abraço, convidando-os a ver no you tube o que lhes reservei chave de procura PINHEIRINHO1949 ou Bragança Avante 2010.

An Mirandés

Caçarelhos na Rota de l Mundo atrabeç de l sou Gaiteiro na Fiesta de l Abante
Decorreu ne l passado fin de sumana dies 3, 4 i 5 de Setembre na Quinta de la Atalaia ne l Seixal, mais ua Fiesta de l Abante, ourganizada puls Quemunistas.Ua fiesta cun múltiplos eibentos zde libros, música, gastronomie, multiculturalidade, anfin, todo i de todo para todos ls gustos i paladares, talbeç ouportunidade única para passar ua fin de sumana sin preocupaçones. Reunindo todos ls çtritos de l paíç i muitos outros países de tendéncias quemunistas.
Ne l spácio Bergáncia, houbo artigos de la region, cumo artesanato, la famosa posta mirandesa, pan, fumeiro, binos i mel antre outros. Anquanto se speraba na fila pul almuorço i mesmo almuorçando ó jantando, l grupo de gaiteiros de Barge/Bergáncia i cumo nun podie deixar de ser, Caçarelhos tamien stubo persente i ambos deixórun als einúmaros bejitantes persentes ls sous pergaminhos.
Pa la célula de l PCP de l Çtrito de Bergáncia i to la rapaziada persente naquel spácio andereço un abraço.

Caçarelhos Festa de Nossa Senhora da Ascenção

Festa de Nossa Senhora da Ascenção 2010 Aconteceu no passado Domingo dia 22 de Agosto. Anunciaram de véspera da festa os gaiteiros de Urrós, tendo os mesmos dado a volta à povoação fazendo o toque de Alvorada, e um pouco mais tarde o peditório. Às 12.30 horas foi celebrada missa solene com a animação, de órgão e as vozes do coral de Caçarelhos. Tudo muito bonito. A igreja estava repleta, parecendo termos voltado algumas dezenas de anos atrás. Como era bonito. Como a aldeia era tão povoada! Cheia de gente! Com muitas crianças! Para que todos aqueles que de uma ou outra forma estão ligados a Caçarelhos, mas que de todo lhes foi impossível vir até cá, mas possam estar mais perto, vou colocar neste blog, com todo o carinho algumas passagens para que possam lembrar as pessoas, a igreja, enfim Caçarelhos.

An Mirandés Fiesta de Nuossa Senhora de la Ascençon 2010

Acunteciu ne l passado Demingo die 22 de Agosto. Anunciórun de béspera de la fiesta ls gaiteiros de Ruolos, tenendo ls mesmos dado la buolta a la poboaçon fazendo l toque de Alborada, i un pouco mais tarde l peditório. A las 12.30 horas fui celebrada missa solene cula animaçon, de uorgon i las bozes de l coral de Caçarelhos. Todo mui guapo. L'eigreija staba repleta, parecendo tenermos buoltado alguas dezenas d'anhos atrás. Cumo era guapo. Cumo l'aldé era tan poboada! Chena de giente! Cun muitas ninos! Para que todos aqueilhes que dua ó outra forma stan ligados la Caçarelhos, mas que de to les fui ampossible benir até acá, mas puodan star mais acerca, bou poner neste blog, cun to l carinho alguas passaiges para que puodan lembrar las pessonas, l'eigreija, anfin Caçarelhos.

FESTA EM HONRA DE SANTA LUZIA


CAÇARELHOS 2010
Festividades em honra de Ssanta Luzia



Cumprindo-se a tradição, estamos próximos de mais uma festa em honra de Santa Luzia. Motivo de sobra para que toda a rapaziada de Caçarelhos faça por estar presente e conviver pois que alguns de nós há mais um ano que não nos vemos.Vamos todos colaborar e fazer com que a festa de outrora grande não acabe.

A família Major

A família Major de São Martinho e arredores estiveram em festa convívio no passado Sábado dia 21 de Agosto. Foi o já tradicional convívio destas familias que de dois em dois anos se juntam numa aldeia do Planalto Mirandés para em família conviver e matar saudades, pois que muitas destas familias vivem e trabalham algures noutras localidades e mesmo além fronteiras, mas que se juntam em convívio em cada dois anos na aldeia ou local escolhido pelos mordomos eleitos pela familia Manjor.
Este ano coube a organização do convívio às familias residentes em Caçarelhos, sendo que hove missa na capela do Senhor Santo Cristo, em memória dos familiares que já partiram.
Depois da missa partiram em caravana para o restaurante em Palaçoulo, onde almoçaram e conviveram, depois, por certo, bem comidos e bebidos, em caravana regressaram a Caçareilhos, alguns regressaram a suas casas, outros continuaram a conviver na casa de Claudina Mondragão uma das netas do Major.
Um exemplo que todas as famílias deveriam copiar.

An Mirandés

La famelia Manjor de San Martino i alredores stubírun an fiesta cumbíbio ne l passado Sábado die 21 de Agosto. Fui l yá tradecional cumbíbio destas famelias que de dous an dous anhos se juntan nua aldé de l Praino Mirandés para an família cumbiber i matar suidades, pus que muitas destas famelias biben i trabalhan algures noutras localidades i mesmo para alhá frunteiras, mas que se juntan an cumbíbio an cada dous anhos na aldé ó local scolhido puls mardomos eileitos pulas famelias Manjores
Astanho coube l'ourganizaçon de l cumbíbio a las famelias residentes an Caçarelhos, sendo qu'hobe missa na capielha de l Senhor Santo Cristo, an mimória de ls fameliares que yá partiran.
Depuis de a missa partiran an carabana pa l restourante an Palaçoulo, adonde almuorçórun i cumbibírun, depuis, por cierto , bien comidos i bubidos, an carabana bolberam para Caçarelhos, alguns regressóua a sues casas, outros cuntinórun a cumbiber na casa de Claudina Mondragon,ua de las nietas del Manjor .
Un eisemplo que todas las famílias deberian copiar.

Caçarelhos canta, dando voz ás suas pérolas

Não podia deixar de, em nome de todos os Caçarelhences, publicar neste blog homenageando desta vez duas dedicadas senhoras que de uma forma ou outra levaram e levam o nome da aldeia de Caçarelhos além fronteiras. Estas gravações foram feitas creio que há cerca de dez anos. Na altura ainda eram escassas estas tecnologias da internete, facto pelo qual só agora eu publico estas preciosidades, sem qualquer arranjo, colagem ou misturas. Tal e qual como foi filmado e nada mais. Assim, e penso que com toda a justiça todos nos devemos orgulhar por ter entre nós estas duas primeiras pérolas a serem alvo de destaque. Pois para a Adélia Garcia e a Maria Augusta Falcão a minha estima e amizade. Beijinhos.

An Mirandés

Nun podie deixar de, an nome de todos ls Caçarelhences, publicar neste blog houmenageando desta beç dues dedicadas senhoras que dua forma ó outra liebórun i lieban l nome de l'aldé de Caçarelhos para alhá frunteiras. Estas grabaçones fúrun feitas creio qu'hai cerca de dieç anhos. Na altura inda éran scassas estas tecnologies de l'anternetae, fato pul qual solo agora you publico estas preciosidades, sin qualquiera arranjo, colaige ó misturas. Tal i qual cumo fui filmado i nada mais. Assi, i penso que cun to la justícia todos ne ls debemos ourgulhar por tener antre nós estas dues purmeiras pérolas la séren albo de çtaque. Pus pa la Adélia Garcia i la Marie Augusta Falcon a mie stima i amisade. Beisinhos.


HISTÒRIAS, BOAS, BELAS E REAIS

Antigamente, nas aldeias, usava-se muito o trabalho comunitário entre os seus habitantes, principalmente na lida das ceifas, trilhas, apanha da batata, etc. Mas. geralmente em todas as aldeias havia pessoas que, pela sua maneira de ser dava mais nas vistas, pelas sua chalaças, maneira de falar, enfim cativava as pessoas por este ou aquele motivo, ficando por vezes com a numeada “alcunha” que quase sempre identificava melhor a pessoa que o próprio nome. Estas histórias que vou contar e cujo contador pediu anonimato, referiu serem autenticas e passadas na vida real, pedindo juntamente com o anonimato, para não divulgar as nomeadas. Assim , colocarei neste Blog os nomes reais dos personagens, Uns felizmente ainda vivos, outros infelizmente já nos deixaram, mas por um ou outro motivo deixaram e deixarão a sua história ligada a Caçarelhos. Sendo que com estas pequenas brincadeiras também se faz a história dos nossos antepassados.

An Mirandés
Antigamente, nas aldés, usaba-se muito l trabalho quemunitairo antre ls sous habitantes, percipalmente na lida de las ceifas, trilha, apanha de la patata, etc. Mas. giralmente an todas las aldés habie pessonas que, pula sue maneira de ser daba mais nas bistas, pulas sue chalaças, maneira de falar, anfin catibaba las pessonas por este ó aquel motibo, quedando por bezes cul subrenome “alcunha” que quaije siempre eidantificaba melhor la pessona que l própio nome. Estas stórias que bou cuntar i cujo cuntador pediu anonimato, referiu séren outenticas i passadas na bida rial, pedindo juntamente cul anonimato, para nun dibulgar las nomeadas. Assi , colocarei neste Blog ls nomes reales de ls personaiges, Uns felizmente inda bibos, outros anfelizmente yá ne ls deixórun, mas por un ó outro motibo deixórun i deixaran la sue stória ligada la Caçarelhos. Sendo que cun estas pequeinhas brincadeiras tamien se faç la stória de ls nuossos antepassados.

Histórias reais com personagens que já nos deixaram
1
O Joaquim e o Américo eram amigos. Gostavam de trabalhar juntos e andavam sempre a reinar um com o outro, provocando grandes risotas, divertindo quem os acompanhava.
Num belo dia foram ambos à jeira ceifar o trigo nas marcas do terreno (limite exterior da freguesia). A jornada decorreu normalmente, mas no fim do dia estavam cansados e à distância de uns 4 quilómetros das suas casas.
O Américo tinha levado o burro para o apoiar nessa longa caminhada. Então o Joaquim exclama:
– Oh Américo tens que me levar no teu burro.
– Não Joaquim, não posso, o burro só pode com um - respondeu o Américo.
O Joaquim, não se conformando com a recusa, aproveitou o facto do Américo estar distraído a colocar os últimos molhos na meda e, sorrateiramente montou-se no burro com rapidez e encetou o regresso a casa.
Já havia percorrido cerca de 200 metros quando Américo se apercebeu e, implorou gritando:
– Oh Joaquim espera aí por mim.
– Não Américo, não posso, o burro só pode com um – replicou o Joaquim que, numa enorme galhofa, obrigou o Américo a caminhar a pé até a sua casa.

An Mirandés
Stórias reales cun personaiges que yá ne ls deixórun
L Joaquin i l Américo éran amigos. Gustában de trabalhar juntos i andában siempre a reinar un cul outro, probocando grandes risotas, dibertindo quien ls acumpanhaba.
Nun guapo die fúrun ambos a la jeira ceifar l trigo nas marcas de l terreno (lemite sterior de la freguesie). La jornada decorreu normalmente, mas ne l fin de l die stában cansados i a la çtáncia duns 4 quilómetros de las sues casas.
L Américo tenie liebado l burro pa l'apoiar nessa longa caminada. Anton l Joaquin sclama:
– Oh Américo tenes que me liebar ne l tou burro.
– Nun Joaquin, nun puodo, l burro solo puode cun un - respundiu l Américo.
L Joaquin, nun se cunformando cula recusa, aprobeitou l fato de l Américo star çtraído a poner ls radadeiros molhos na meda i, sorrateiramente montou-se ne l burro cun rapideç i ancetou l regresso la casa.
Yá habie percorrido cerca de 200 metros quando Américo se apercebiu i, amplorou gritando:
– Oh Joaquin spera ende por mi.
– Nun Américo, nun puodo, l burro solo puode cun un – replicou l Joaquin que, nua einorme galhofa, oubrigou l Américo a caminar la pie até la sue casa.


2
Nos tempos em que na aldeia de Caçarelhos, havia mais de trinta rapazes, com idades compreendidas entre os 18 e os 25 anos, denominados pela mocidade, normalmente aos Domingos, passavam pela taberna da tia Maria da Cruz para beberem umas cervejas em conjunto.
Belmiro era, talvez, o mais velho e o mais admirado, o que mais confiança transmitia, talvez até o ídolo dos jovens da altura, graças a ter emprego e já ganhar umas coroas, por vezes, era ele que convidava estimulando a mocidade para umas cervejas. Quando chegaram à taberna estava lá apenas o tio Manuel que, não ligava nada a cerveja, a sua preferência era o meio quartilho de vinho.
Belmiro pediu uma “rodada” de cerveja à tia Maria e meio quartilho de vinho para o tio Manuel.
O tio Manuel timidamente recusa, não porque lhe faltasse vontade e apetite, mas porque gostava de rogos e insistência, disse:
- Não Belmiro, obrigado, mas não quero.
Belmiro que o conhecia bem, insistiu:
- Tio Manuel beba lá um copo e deixe-se lá de coisas!
- Não quero, Belmiro, não quero – respondeu o tio Manuel.
- Tio Manuel, aproveite agora que é boa ocasião – tornou Belmiro.
- Não, não me apetece – replica o tio Manuel.
Belmiro estabeleceu uma conversa com a rapaziada e nunca mais se lembrou de voltar a oferecer o meio quartilho ao tio Manuel. Este, vendo que se estava a gorar tão bela oportunidade, chamou a tia Maria e disse-lhe:
- Maria, Maria dá lá o meio quartilho de vinho para mim.. Eu não queria!..., mas Belmiro quer!.....


An Mirandês
Ne ls tiempos an que na aldé de Caçarelhos, habie mais de trinta rapazes, cun eidades cumprendidas antre ls 18 i ls 25 anhos, chamados pula mocidade, normalmente als Demingos, passában pula taberna de a tie Marie de la Cruç para bubíren uas cerbeijas an cunjunto.
Belmiro era, talbeç, l mais bielho i l mais admirado, l que mais cunfiança trasmitie, talbeç até l ídolo de ls moços de l'altura, grácias a tener amprego i yá ganhar uas corona, por bezes, era el que cumbidaba stimulando la mocidade para uas cerbeijas. Quando chegórun a la taberna staba alhá solo l tio Manuel que, nun ligaba nada la cerbeija, la sue preferéncia era l meio quartilho de bino.
Belmiro pediu ua “rodada” de cerbeija a a tie Marie i l meio quartilho de bino pa l tio Manuel.
L tio Manuel timidamente recusa, nun porque le faltasse buntade i apetite, mas porque gustaba de rogos i ansisténcia, dixe:
- Nun Belmiro, oubrigado, mas nun quiero.
Belmiro que l conhecie bien ansistiu:
- Tio Manuel beba alhá un copo i deixe-se alhá de cousas!
- Nun quiero, Belmiro, nun quiero – respundiu l tio Manuel.
- Tio Manuel, aprobeite agora que ye buona ocasion – tornou Belmiro.
- Nó, nun me apetece – replica l tio Manuel.
Belmiro stableciu ua cumbersa cula rapaziada i nunca mais se lembrou de buoltar a ouferecer l copo de bino al tio Manuel. Este, bendo que se staba a gorar tan guapa ouportunidade, chamou a tie Marie i dixe-le:
- Marie, Marie anche alhá ende l meio quartilho de bino para mi.. You nun l quieria!..., mas Belmiro quier!.....

3
Há muito, muito tempo, quando erámos crianças, não havia ainda máquinas agrícolas. Imperava o trabalho manual, comunitário, inter-ajuda alegre e desinteressada, culminada por óptimas relações familiares e de enorme amizade.
A ceifa (segada) dos cereais era um trabalho muito árduo debaixo de calor ardente. Só um grupo era possível combater as agruras dessa faina. Para aliviar a fadiga, contavam-se histórias (contas) e cantavam-se belas canções e fados em desgarrada.
Francisco e José António eram cunhados e relacionavam-se muito bem. Francisco, um nadinha mais “ de puxar a brasa mais para a sua sardinha”, combinou com José António para fazerem a segada em comunidade, começando primeiro pela sua. Após uma longa semana de trabalho, ultrapassando até o dito “sol a sol” (antes e depois do nascer e do por do sol), eis que é concluída a segada de Francisco.
Quando já ao iniciar da noite Francisco coloca o último molho numa muito bem construída meda, Francisco volta-se para o José António e proclama:
- Olha José António o meu já não vareja (vareja era o nome dado a um vento muito forte que lançava as sementes de trigo e do centeio ao solo, perdendo-se, assim, toda a colheita anual).
José António algo incomodado e insatisfeito com a afirmação de Francisco e também porque a ceifa dele ainda estava toda por fazer, responde muito sério:
- Olha Francisco e tu a mim não me f _ _ _ _ mais.



An Mirandês
Hai muito, mui tiempo, quando erámos ninos, nun habie inda máquinas agrícolas. Amperaba l trabalho manual, quemunitairo, anter-ajuda alegre i zeinteressada, culminada por ótimas relaçones fameliares i d'einorme amisade.
La ceifa (segada) de ls cereales era un trabalho mui árduo ambaixo de calor ardiente. Solo un grupo era possible cumbater las agruras dessa faina. Para alebiar la fadiga, cuntában-se stórias (cuntas) i cantában-se guapas cançones i fados an çgarrada.
Francisco i José António éran cunhados i relacionában-se mui bien. Francisco, un nadinha mais “ de puxar la brasa mais pa la sue sardina”, cumbinou cun José António para fazíren la segada an quemunidade, ampeçando purmeiro pula sue. Passado ua longa sumana de trabalho, ultrapassando até l dezido “sol la sol” (antes i depuis de l nacer i de l por de l sol), eis que ye cuncluída la segada de Francisco.
Quando yá al ampeçar de la nuite Francisco coloca l radadeiro molho nua mui bien custruída meda, Francisco buolta-se pa l José António i proclama:
- Mira José António l miu yá nun bareija (bareija era l nome dado a un bento mui fuorte que lançaba las semientes de trigo i de l centeno al tierra, perdendo-se, assi, to la colheita anual).
José António algo ancomodado i ansastifeito cula afirmaçon de Francisco i tamien porque la ceifa del inda staba to por fazer, respunde mui sério:
- Mira Francisco i tu a mi nun me f _ _ _ s mais.

L BURRO I L GUEITEIRO



De novo e pela terceira vez este ano de 2010 a Banda de Gaitas Roncos do Diabo estará presente no evento "L Burro i l Gueiteiro" de 1 a 5 de Agosto,em terras de Miranda.No próximo dia 3 de Agosto concerto em Palaçoulo 22.00 horas. Um evento a não perder pela juventude de Caçarelhos, e não só. No primeiro ano teve passagem por Caçarelhos. E que bonito que foi. Este ano concentração é Palaçoulo.

Terra de Gaiteiros






Nasceu mais um Gaiteiro em Caçarelhos

Não resisto a partilhar o meu contentamento, com todos quantos visitam este Blog. É verdade, descobri, tal como aconteceu com a jovem gaiteira à qual também fiz referência numa das minhas anteriores mensagens, referindo ser descendente de pessoas nascidas em Caçarelhos. Hoje desfolhando o "Jornal Nordeste" deparei com uma reportagem sobre o 8.º Festival de Música e Tradição da Lombada que se realizará no próximo fim de semana, dias 24 e 25 de Julho e onde vi uma fotografia que me saltou logo o nome do gaiteiro. Ora quem havia de ser, precisamente mais um Caçarelhence dos quatro costados de seu nome Emílio Falcão. Perante este facto não podia deixar de dar o devido destaque a tal notícia colocado algumas fotografias, enderessando um abraço para ele, bem como para todos quanto como eu gostam destes festivais, como é o caso daquela simpática gente da Lombada por quem tenho especial carinho, pois que quer os Gaiteiros de Palácios, quer os Gaiteiro de Deilão actuaram graciosamente em Caçarelhos em Agosto de 2002. Para todos eles o meu abraço.

Mensagem recebida da Argentina

Mensagem recebida de gente ligada a Caçarelhos, mas que nunca lá estiveram. Filhos de pai nascido em Caçarelhos e que emigrou para a Argentina nos anos 20/30 do passado século. Este blog dá as boas-vindas a este conterrâneo e envia para todos aqueles que ligados a Caçarelhos vivem e traballham na Argentina. Para todos envio desta forma um bocadinho de Caçarelhos.


Original Message -----
From: "Carlos Ventura" carlosramosventura@hotmail.com
To: jfventura@netvisao.pt
Sent: Mon 19/07/10 23:25
Subject: Fwd: Blog de Cacarelhos

Olá primo, recebí teu correio do blog de Cacarelhos. É tan bom en todos los aspectos, que sempre que tenho um tempo livre, leo todo o que tu escreviste em portugés e trato de leerlo tambem em mirandés, que me resulta facil comprenderlo. Tambem escuto os vídeos com o conjunto de gaitas donde toca Joao, depois de tantos anos de no ver nada de Cacarelhos, hoje posso dizer que ja esteve allí, porque cuasi conheso a todo o povo. com suas ruas,igreja, casas e monumentos e o cabanal que sempre o meu pai me falava. Nuevamente te felicito por teu trabalho e continúa enriquciéndolo com novas informacoes e vídeos; oje aquí posso dizer que estou mais perto da terra que obrigado a ela meu pai nasceu e portanto eu existo. Felicitacoes e adiante. Saudos para todos e para ti um forte abraco. Espero que puedas entender mi ideia e sentimientos. Carlos Ventura

Como se faz o pão

Como se faz o Pão

Há um ditado muito antigo que diz “Filho de peixe sabe nadar” ou ainda “Quem sai aos seus não degenera” É este o caso que vos vou contar. Nascido no meio rural na aldeia de Caçarelhos em pleno Planalto Mirandês e desde muito pequeno, por circunstâncias da vida, ficou órfão aos nove anos, eram quatro irmãos, este era o mais velho. Sua mãe a tia Maria Pegada, ficara viúva e com os quatro filhos todos menores, (a mais nova tinha um ano) a vida era difícil, e mais difícil se tornara com a perda do pilar principal da casa o tio Joaquim Ventura, corria o ano de 1958, e logo nessas férias de Agosto eu e minha imã Maria logo pela manhã cedo lá íamos nós para os Pedriços ou para a Malhada do Cormeal com os burritos e o carro à procura de lenha para o forno, roços, estevas, escobas etodo o tipo de lenha que encontrava-mos, repetindo a mesma rotina todos os dia durante as férias, folgando aos Domingos para seguirmos noutra missão de ir até Vilar Seco, Malhadas ou Póvoa vender as fogacicas. Crianças que nasceram no tempo da crise, cresceram na crise viveram na crise, e continuam ainda a ouvir falar em crise. Foi, é e será sempre a sina dos pobres. Não querendo desviar-me do tema principal do título deste texto, diria ainda que mesmo assim, é com alguma saudade que lembro os tempos de criança, com toda aquela felicidade de viver parte do tempo no campo, no meio dos animais das ceifas, das trilhas, das hortas, daquela lidação diária com a farinha, com a masseira com o forno, enfim com tudo o que me ensinou a crescer e ser a pessoa que sou hoje. Este meu gosto de fazer o pão e gosto por divulgar esta sabedoria milenária a todos quantos, nunca viram e não fazem a mais pequena ideia de como se faz o pão que lhes chega à mesa, deixo neste blog uma amostra de como se produz o pão sem qualquer componente que não o tradicional e genuíno saber dos nossos antepassados.

An Mirandés:

Como se faç l Pan

Hai un ditado mui antigo que diç “Filho de peixe sabe nadar” ó inda “Quien sal als sous nun degenera” Ye este l causo que bos bou cuntar. Nacido ne l meio rural na aldé de Caçarelhos an pleno Praino Mirandés i zde mui pequeinho, por circunstáncias de la bida, quedou uorfon als nuobe anhos, éran quatro armanos, este era l mais bielho. Sue mai a tie Marie Pegada, quedara biúda i culs quatro filhos todos menores, (la mais nuoba tenie un anho) la bida era defícel, i mais defícel se tornara cula perda de l pedamiego percipal de la casa l tio Joaquin Bintura, corria l'anho de 1958, i lougo nessas bacanças de Agosto you i mie eimana Marie lougo pula manhana cedo alhá ibamos nós pa ls Pedriços ó pa la Malhada de l Cormeal culs burritos i l carro a la percura de lenha pa l forno, roços, xaras, scobas etodo l tipo de lenha qu'ancontraba-mos, repetindo la mesma rotina todos ls die durante las bacanças, folgando als Demingos para seguirmos noutra misson d'ir até Bilar Seco, Malhadas ó Póboa bender las fogacicas. Ninos que nacírun ne l tiempo de la crise, crecírun na crise bibiran na crise, i cuntinan inda a oubir falar an crise. Fui, ye i será siempre la sina de ls pobres. Nun querendo zbiar-me de l tema percipal de l títalo deste testo, dirie inda que mesmo assi, ye cun algua suidade que lembro ls tiempos de nino, cun to aqueilha felicidade de bibir parte de l tiempo ne l campo, ne l meio de ls animales de las ceifas, de las trilhas, de las hortas, daquela lidaçon diária cula farinha, cula masseira cul forno, anfin cun todo l que me ansinou a crecer i ser la pessona que sou hoije. Este miu gusto de fazer l pan i gusto por dibulgar esta sabedorie milenária a todos quantos, nunca biran i nun fázen la mais pequeinha eideia de cumo se faç l pan que les chega a la mesa, deixo neste blog ua amostra de cumo se porduç l pan sin qualquiera cumponente que nun l tradecional i genuíno saber de ls nuossos antepassados. Beijan l bídios.

Gaitafolia na "Outra Face da Lua"

Banda de Gaitas "Gaitafolia"

Esta banda muito contribuiu para o reaparecimento das gaitas em Portugal, e muito em particular nas Terras de Miranda. Surgiu em 1998 e foi a partir dessa data que ficou ligada a Caçarelhos, pois que ensinou descendente de Caçarelhos a ter gosto pelas gaitas, acarinhando-o desde o dia em que nos conhecemos. A Banda Gaitafolia, actuou por duas vezes em Caçarelhos, em 14 de Dezembro de 2000 no adro da igreja à saida de Missa, pernoitou em Caçarelhos, depois dum concerto em Fonte D´Aldeia "REZOSA 2000" e outra vez naquele dia 22 de Agosto de 2002 na Festa de Santa Luzia onde se realizou pela primeira vez em Caçarelhos um evento sem igual, que foi o 1.º Encontro de Gaiteiros do Planalto Mirandés. Dia em que Caçarelhos juntou nada mais que 14 Grupos de Gaiteiros, um Grupo de Pauliteiros e ainda um Rancho Folclórico, percorrendo todas as Ruas de Aldeia e desfile final em palco nas Eiras. Documentação relativa a este evento ficará para uma próxima oportunidade. Por agora deixo-vos com o som dos "Gaitafolia".

An Mirandés:

Esta banda mui cuntribuiu pa l reaparecimiento de las gaitas an Pertual, i mui an particular nas Tierras de Miranda. Surgiu an 1998 i fui a partir dessa data que quedou ligada la Caçarelhos, pus qu'ansinou çcendente de Caçarelhos a tener gusto pulas gaitas, acarinhando-lo zde l die an que ne ls conhecemos. La Banda Gaitafolia, atuou por dues bezes an Caçarelhos, an 14 de Dezembre de 2000 ne l sagrado de l'eigreija a la saida de Missa, pernoitou an Caçarelhos, depuis dun cuncerto an Fuonte D´Aldé "REZOSA 2000" i outra beç naquel die 22 de Agosto de 2002 na Fiesta de Santa Luzia adonde se rializou pula primeira beç an Caçarelhos un eibento sin eigual, que fui l 1.º Ancuontro de Gaiteiros de l Praino Mirandés. Die an que Caçarelhos juntou nada mais que 14 Grupos de Gaiteiros, un Grupo de Pauliteiros i inda un Rancho Folclórico, percorrendo todas las Rues de Aldé i çfile final an palco nas Eiras. Documentaçon relatiba l'este eibento quedará para ua próssima ouportunidade. Por agora deixo-bos cul sonido de ls "Gaitafolia".




Caçarelhos Geração 1949

Ano 1949, 60 anos decorridos, alguns já todos reumáticos, empenados, com caruncho, mas ainda com alegria suficiente para fazer a festa de conívio do 60.º aniversário. Aconteceu em Agosto passado, Graças a uma mulher determinada, convicções fortes, teve a ideia, pola em marcha e conseguiu juntar quase todos os que nascemos em 1949. Eurico Martins Tecedor, Aristides do Nascimento Silva da Veiga, António Gonçalves Amoedo, Firmino Ramos Falcão, Fernando Vicente Lopes, Ana Maria Afonso Preto, Miquelina Falcão Ramos, Alberto Conde Moreno, José Francisco Pera Ventura, Delfina Augusta Vicente Pires, Viriato Amoedo Rodrigues, Lina Vicente Fernandes, Maria das Neves Afonso Meirinhos, Marília da Luz Falcão Lhano, Manuel António Preto Vicente, Maria da Graça José João, Domingos Neto Ramos, Maria Irene Magalhães João e Cândida Pereira Sardinha, Numa visita por ela guiada à nossa escola, lembramos os nossos professores, Abel Moreno e D. Ernestina, os rapazes bem mais castigados sofreram bem mais no corpo que as raparigas, mas tudo faz parte da vida, e se assim não fosse talvez a vida não tivesse sentido. Seguiu-se a missa na Capela de Santo Cristo, celebrada pelo Sr. Padre Leça, e por fim o almoço servido pela Mordomia de S.tª Luzia e ao som da inconfundivel Gaita-de-Foles, como poderão ver clicando os vìdios.Para lembrar essa data, e para lembrar também o combinado para o proximo Agosto deixo aqui neste blog dedicado exclusivamente a Caçarelhos e às suas gentes os vídios conseguidos. Emtão assim espero que os e as praças 1949 gostem e revejam o que de bom nos aconteceu no passado mês de Agosto. Para todos o meu abraço e até breve.

An Mirandés:

Anho 1949, 60 anhos decorridos, alguns yá todos reumáticos, ampenados, cun caruncho, mas inda cun alegrie suficiente para fazer la fiesta de cuníbio de l 60.º anibersairo. Acunteciu an Agosto passado, Grácias a ua mulhier detreminada, cumbiçones fuortes, tubo l'eideia, pó-l'an marcha i cunseguiu juntar quaije todos ls que nacemos an 1949. Eurico Martines Tecedor, Aristides de l Nacimiento Silba de la Beiga, António Gonçalbes Amoedo, Firmino Galhos Falcon, Fernando Bicente Lhopes, Ana Marie Fonso Negro, Miquelina Falcon Galhos, Alberto Cunde Moreno, José Francisco Pera Bintura, Delfina Augusta Bicente Pires, Biriato Amoedo Rodrigues, Lhina Bicente Fernandes, Marie de las Niebes Fonso Meirinhos, Marília de la Luç Falcon Lhano, Manuel António Negro Bicente, Marie de la Grácia José João, Demingos Nieto Galhos, Marie Irene Magalhanes João i Cándida Pereira Sardina. Nua bejita por eilha guiada a la nuossa scuola, lhembramos ls nuossos porsores, Abel Moreno i D. Ernestina, ls rapazes bien mais castigados sofrírun bien mais ne l cuorpo que las rapazas, mas todo faç parte de la bida, i se assi nun fusse talbeç la bida nó tubisse sentido. Seguiu-se a missa na Capielha de Santo Cristo, celebrada pul Sr. Padre Leça, i por fin l'almuorço serbido pula Mordomie de S .ptª Lhuzia i al sonido de l'anconfundible Gaita-de-Foles, cumo poderán ber clicando ls bídeos. Para lhembrar essa data, i para lhembrar tamien l cumbinado pa l próssimo Agosto deixo eiqui neste blog dedicado sclusibamente la Caçarelhos i a las sues gientes ls bídeos cunseguidos. Anton assi spero que ls i las praças 1949 gusten i rebeijan l que de buono ne ls acunteciu ne l passado més de Agosto. Para todos l miu abraço i até brebe.





Artesã no tear

Continuando fiel ao que me propus quando da feitura deste Blog, irei dentro dos possíveis colocar alguns artigos relacionados com Caçarelhos e as suas gentes. Neste sentido, vou dar destaque a uma artesã genuinamente de Caçarelhos. Eis pois a nossa querida IsauraNeto Rodrigues, dedicando a sua sabedoria ao tear confeccionando os tapetes, colchas, mantas e alforjas.

Lembro também neste vídio e dado não ter conseguido separar do mesmo pessoas de Caçarelhos que por ironia do destino, já partiram, mas que certamente continuam bem presentes na memória de seus familiares, aos quais eu endereço o meu carinho e amizade.

An Mirandés

Cuntinando fiel al que me propus quando de la feitura deste Blog, eirei drento de ls possibles poner alguns artigos relacionados cun Caçarelhos i las sues gientes. Neste sentido, bou dar çtaque a ua artesana genuinamente de Caçarelhos. Eis pus la nuossa querida Isaura Nieto Rodrigues, dedicando la sue sabedorie al telar cunfecionando ls tapetes, colchas, mantas i alforjas.

Lhembro tamien neste bídio i dado nun tener cunseguido apartar de l mesmo pessonas de Caçarelhos que por ironia de l çtino, yá partiran, mas que cierta mente cuntinan bien persentes na mimória de sous fameliares, als quales you andereço l miu carinho i amisade.

A minha homenagem ao pastor

Casal trabalhador, ele herdou do pai Nascimento o gosto pelas ovelhas, ela creio que também herdou o feitiço dos campos da Matela. Embora nascida fora de Caçarelhos, foi esta a terra que adoptou para ser sua. Um casal trabalhador, amigo e simpático, pais de um casal de filhos, o rapaz um pouco rebelde, traquina, sempre a procurar o perigo, era ainda criança como todas as crianças. Agora homem trabalhador, é assim a vida. Ela aquela menina muito querida de quem eu gosto muito. Com certeza que com muita surpresa irão ver este blog e verão como por vezes recordar sabe bem. Será este o caso, pois que de entre inúmeras fotos e vidios que possuo no meu album de recordações, vou tentando partilhar com todos os intervenientes ligados a Caçarelhos, dando a conhecer para além da nossa aldeia, a Gente laboriosa, trabalhadora e pacata, que luta de sol a sol pelo seu bem estar. Amigos Emílio, Bernardina, Edgar e Rute, perdoai-me esta surpresa e a minha modesta mas sincera homenagem, e para todos um abração deste vosso amigo.

An Mirandés

Casal trabalhador, el heirdou de l pai Nacimiento l gusto pulas canhonas, eilha creio que tamien heirdou l bruxedo de ls campos de la Matela. Ambora nacida fura de Caçarelhos, fui esta a tierra qu'adotou para ser sue. Un casal trabalhador, amigo i simpático, pais dun casal de filhos, l rapaç un pouco rebelde, traquina, siempre a percurar l peligro, era inda nino cumo todas ls ninos. Agora home trabalhador, ye assi la bida. Eilha aqueilha nina mui querida de quien you gusto muito. Cun certeza que cun muita surpresa eiran ber este blog i berano cumo por bezes recordar sabe bien. Será este l causo, pus que d'antre einúmaras fotos i bidios que possuo ne l miu albun de recordaçones, bou tentando partilhar cun todos ls anterbenientes lhigados la Caçarelhos, dando a coincer para para alhá de la nuossa aldé, la Giente lhaboriosa, trabalhadeira i pacata, que lhuita de sol la sol pul sou bien star. Amigos Emílio, Bernardina, Edgar i Rute, perdoai-me esta surpresa i a mie modesta mas sincera houmenaige, i para todos un abraçon deste buosso amigo.

Histórias de Caçarelhos/Contrastes das Modernices

Navegando na NET e lendo tudo quanto enconto sobre Caçarelhos, achei interessante esta prosa sobre os tempos da minha meninisse e dado enquadrar-se pefeitamente àqueles que tal como eu nasceram há 50, 60 e 70 anos atrás. Então leiam, o que encontrei pubicado por um senhor que gostaria de saber quem é, e que se dá pelo pseudo nome de "Calisto".



-Recebi há alguns dias um e-Mail que me fez recordar a minha infância, passada em Caçarelhos, apesar de não saber o autor não resisto a partilhá-lo, concerteza trará memórias a muitos naturais de caçarelhos que agora vivem longe!
Nascidos antes de 1986. De acordo com os reguladores e burocratas de hoje,todos nós que nascemos nos anos 60, 70 e princípios de 80, não devíamos ter sobrevivido até hoje, porque as nossas caminhas de bebé eram pintadas com cores bonitas, em tinta à base de chumbo que nós muitas vezes lambíamos e mordíamos. Não tínhamos frascos de medicamentos com tampas "à prova de crianças", ou fechos nos armários e podíamos brincar com as panelas. Quando andávamos de bicicleta, não usávamos capacetes.
Quando éramos pequenos viajávamos em carros sem cintos e airbags, viajar á frente era um bónus. Bebíamos água da mangueira do jardim e não da garrafa e sabia bem. Comíamos batatas fritas, pão com manteiga e bebíamos gasosa com açúcar, mas nunca engordávamos porque estávamos sempre a brincar lá fora. Partilhávamos garrafas e copos com os amigos e nunca morremos disso. Passávamos horas a fazer carrinhos de rolamentos e depois andávamos a grande velocidade pelo monte abaixo, para só depois nos lembrarmos que esquecemos de montar uns travões. Depois de acabarmos num silvado aprendíamos. Saíamos de casa de manhã e brincávamos o dia todo, desde que estivéssemos em casa antes de escurecer. Estávamos incontactáveis e ninguém se importava com isso.
Não tínhamos PlayStation, X Box. Nada de 40 canais de televisão, filmes de vídeo, home cinema, telemóveis, computadores, DVD, Chat na Internet. Tínhamos amigos - se os quiséssemos encontrar íamos á rua. Jogávamos ao elástico e à barra e a bola até doía! Caíamos das árvores, cortávamo-nos, e até partíamos ossos mas sempre sem processos em tribunal. Havia lutas com punhos mas sem sermos processados. Batíamos ás portas de vizinhos e fugíamos e tínhamos mesmo medo de sermos apanhados. Íamos a pé para casa dos amigos. Acreditem ou não íamos a pé para a escola; Não esperávamos que a mamã ou o papá nos levassem.
Criávamos jogos com paus e bolas. Se infringíssemos a lei era impensável os nossos pais nos safarem. Eles estavam do lado da lei.
Esta geração produziu os melhores inventores e desenrascados de sempre. Os últimos 50 anos têm sido uma explosão de inovação e ideias novas. Tínhamos liberdade, fracasso, sucesso e responsabilidade e aprendemos a lidar com tudo. És um deles? Parabéns!
Passa esta mensagem a outros que tiveram a sorte de crescer como verdadeiras crianças, antes dos advogados e governos regularem as nossas vidas, "para nosso bem". Para todos os outros que não têm idade suficiente pensei que gostassem de ler acerca de nós. Isto, meus amigos é surpreendentemente medonho... E talvez ponha um sorriso nos vossos lábios. A maioria dos estudantes que estão hoje nas universidades nasceu em 1986. Chamam-se jovens.
Nunca ouviram "we are the world" e uptown girl conhecem de westlife e não de Billy Joel.Nunca ouviram falar de Rick Astley, Banarama ou Belinda Carlisle.Para eles sempre houve uma Alemanha e um Vietname.A SIDA sempre existiu.Os CD's sempre existiram.O Michael Jackson sempre foi branco.Para eles o John Travolta sempre foi redondo e não conseguem imaginar que aquele gordo fosse um dia um deus da dança.Acreditam que Missão impossível e Anjos de Charlie são filmes do ano passado.Não conseguem imaginar a vida sem computadores.Não acreditam que houve televisão a preto e branco.
Agora vamos ver se estamos a ficar velhos:
1. Entendes o que está escrito acima e sorris.2. Precisas de dormir mais depois de uma noitada.3. Os teus amigos estão casados ou a casar.4. Surpreende-te ver crianças tão á vontade com computadores.5. Abanas a cabeça ao ver adolescentes com telemóveis.6. Lembras-te da Gabriela (a primeira vez).7. Encontras amigos e falas dos bons velhos tempos.8. Vais encaminhar este e-mail para outros amigos porque achas que vão gostar.
SIM! ESTAMOS A FICAR VELHOS, heheheh , mas tivemos uma infância do caraças!
Muito obrigado ao Autor, sorri e lembrei-me de tantas coisas e esta foi a minha forma de partilhar a mensagem.
Escrito por Calisto às 16:20



An Mirandés

Stórias de Caçarelhos/Cuntrastes de las Modernices

-Nabegando na NET i lhendo todo quanto anconto subre Caçarelhos, achei antressante esta prosa subre ls tiempos de a mie menenisse i dado enquadrar-se pefeitamente àqueles que tal cumo you nacírun hai 50, 60 i 70 anhos atrás. Anton lheian, l qu'ancontrei pubicado por un senhor que gustarie de saber quien ye, i que se dá pul pseudo nome de "Calisto".

Recebi hai alguns dies un i-Carta eiletrónica que me fizo recordar a mie anfáncia, passada an Caçarelhos, anque nun saber l'outor nó resisto la partilhá-lo, cuncerteza trará mimórias a muitos naturales de caçarelhos qu'agora biben lhoinge!
Nacidos antes de 1986. D'acuordo culs reguladores i burocratas d'hoije,todos nós que nacemos ne ls anhos 60, 70 i percípios de 80, nun debíamos tener subrebebido até hoije, porque las nuossas caminas de bebé éran pintadas cun quelores guapas, an tinta a la base de chombo que nós muitas bezes lhambíamos i mordíamos. Nun tínhamos frascos de medicamientos cun tapadeiras "a la proba de ninos", ó fechos ne ls armairos i podiemos brincar culas panelas. Quando andábamos de bicicleta, nun usábamos capacetes. Quando éramos pequeinhos biajábamos an carros sin cintos i airbags, biajar á frente era un bónus. Bebíamos auga de la mangueira de l jardin i nun de la garrafa i sabie bien. Comíamos patatas fritas, pan cun manteiga i bebíamos gasosa cun açúcar, mas nunca angordábamos porque stábamos siempre a brincar alhá fura. Partilhábamos garrafas i copos culs amigos i nunca morremos desso. Passábamos horas a fazer carrinhos de rolamientos i depuis andábamos la grande belocidade pul monte ambaixo, para solo depuis mos lhembrarmos que squecemos de montar uns trabones. Depuis d'acabarmos nun silbado daprendíamos. Saíamos de casa de manhana i brincábamos l die to, zde que stubíssemos an casa antes de scurecer. Stábamos ancontatables i naide se amportaba cun esso. Nun tínhamos PlayStation, X Box. Nada de 40 canhales de telebison, filmes de bídeo, home cinema, telemobles, cumputadores, DBD, Xat na Anterneta. Tínhamos amigos - se ls quejissemos ancontrar ibamos á rue. Jogábamos al elástico i a la barra i la bola até doía! Caíamos de las arbles, cortábamo-mos, i até partíamos uossos mas siempre sin porcessos an tribunal. Habie lhuitas cun punhos mas sin sermos processados. Batíamos ás puortas de bezinos i fugíamos i tínhamos mesmo medo de sermos apanhados. Ibamos la pie para casa de ls amigos. Acraditen ó nun ibamos la pie pa la scuola; Nun sperábamos que la mamana ó l papá ne ls lhiebassen. Criábamos jogos cun palos i bolas. Se anfringíssemos la lhei era ampensable ls nuossos pais ne ls safáren. Eilhes stában de l lhado de la lhei. Esta geraçon porduziu ls melhores ambentores i zamrascados de siempre. Ls radadeiros 50 anhos ténen sido ua spluson d'inobaçon i eideias nuobas. Tínhamos lhibardade, fracasso, sucesso i respunsabelidade i daprendemos a lhidar cun todo. Sós un deilhes? Parabienes!
Passa esta mensaige a outros que tubírun la suorte de crecer cumo berdadeiras ninos, antes de ls adbogados i gobiernos reguláren las nuossas bidas, "para nuosso bien". Para todos ls outros que nun ténen eidade suficiente pensei que gustassen de lher acerca de nós. Esto, mius amigos ye surprendentemente medonho... I talbeç ponga un sorriso ne ls buossos lhábios. La maiorie de ls studantes que stan hoije nas ounibersidades naciu an 1986. Chaman-se moços. Nunca oubiran "we are the world" i utown girl conhecen de westlife i nun de Billy Joel.Nunca oubiran falar de Rick Astley, Banarama ó Belinda Carlisle.Para eilhes siempre houbo ua Almanha i un Bietname.La SIDA siempre eisistiu.Ls CD's siempre eisistiran.L Michael Jackson siempre fui branco.Para eilhes l John Trabolta siempre fui redondo i nun cunseguen eimaginar qu'aquel gordo fusse un die un dius de la beilça.Acraditan que Misson ampossible i Anjos de Charlie son filmes de l'anho passado.Nun cunseguen eimaginar la bida sin cumputadores.Nun acraditan qu'houbo telebison a negro i branco.
Agora bamos ber se stamos a quedar bielhos: 1. Antendes l que stá scrito arriba i sorris.2. Percisas de drumir mais depuis dua noitada.3. Ls tous amigos stan casados ó a casar.4. Surprende-te ber ninos tan á buntade cun cumputadores.5. Abanas la cabeça al ber adolescentes cun telemobles.6. Lhembras-te de la Grabiela (la purmeira beç).7. Ancontras amigos i falas de ls buns bielhos tiempos.8. Bás ancaminhar este correio eiletrónico para outros amigos porque achas que ban gustar.
SIM! ESTAMOS La FICAR BELHOS, heiheheh , mas tubimos ua anfáncia de l caraças!
Mui oubrigado al Outor, sorri i lhembrei-me de tantas cousas i esta fui a mie forma de partilhar la mensaige.Scrito por Calisto a las 16:20